Conteúdo exclusivo

Blog - Jurisprudência selecionada do STJ

DIREITO CIVIL. ELEMENTOS TÍPICOS DE SOCIEDADE EMPRESÁRIA E DISSOLUÇÃO DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS.

04/09/2015

Na avaliação e na partilha de bens em processo de dissolução de sociedade de advogados, não podem ser levados em consideração elementos típicos de sociedade empresária, tais quais bens incorpóreos, como a clientela e a sua expressão econômica e a "estrutura do escritório". Acontece que, no que diz respeito especificamente às sociedades de advogados, a possibilidade de revestirem caráter empresarial é expressamente vedada pelo ordenamento jurídico vigente. O Estatuto da Ordem dos Advogados (arts. 15 a 17 da Lei 8.906/1994) enuncia que a sociedade formada por advogados é "sociedade civil de prestação de serviço de advocacia", com regulação específica ditada pela própria lei. A organização prevista para esse tipo específico de sociedade simples é a forma em nome coletivo, respondendo os sócios - advogados - pelas obrigações sociais solidária e ilimitadamente. Na linha do que preceitua o art. 16 da Lei 8.906/1994, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, por meio do art. 2°, X, do Provimento 112/2006, resolveu que: "não são admitidas a registro, nem podem funcionar, Sociedades de Advogados que revistam a forma de sociedade empresária ou cooperativa, ou qualquer outra modalidade de cunho mercantil". Assim, pode-se concluir que, ainda que um escritório de advocacia apresente estrutura complexa, organização de grande porte, conte com a colaboração de auxiliares e com considerável volume de trabalho, prestado, inclusive, de forma impessoal, a sociedade existente não deixará de ser simples, por expressa determinação legal. REsp 1.227.240-SP, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, julgado em 26/5/2015, DJe 18/6/2015.

Fonte: Informativo STJ n. 0564 - Período: 15 a 30 de junho de 2015.

Comentários


  • Tentar outra imagem


Nenhum comentário

Nosso site mantém um sistema de comentários para estimular a troca de ideias e informações entre seus leitores, permitindo o aprofundamento dos debates. Este espaço respeita as opiniões dos leitores, independentemente da corrente ideológica ou divergência de ideias. Entretanto, o BLOG tem regras de conduta que devem ser respeitadas. Não serão aceitos comentários que, a critério do moderador: (a) contenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter racista, discriminatório ou ofensivo de qualquer natureza contra pessoas e instituições ou que desrespeite a privacidade alheia; (b) configurem qualquer outro tipo de crime segundo a legislação pátria; (c) mensagens anônimas ou assinadas com e-mail falso; (d) Tenham cunho comercial ou de propaganda (spam), ou ainda reúnam informações de natureza pessoal (e-mail, endereço, telefone etc) do próprio comentarista ou de terceiros e/ou que contenham informações fora do contexto do blog. Não cumpridas essas regras, o BLOG reserva-se o direito de excluir o comentário sem aviso prévio. O leitor que insistir em desrespeitar essas regras será bloqueado do nosso sistema de comentários. O site não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do BLOG.